Escolha o acelerômetro correto respondendo a 8 perguntas simples!

por Jane Alexander – Efficient Plant 


Responder a oito perguntas sobre como e onde um acelerômetro deve ser usado, simplifica o processo de seleção. Foto: IMI Sensors

Selecionar acelerômetros para aplicações específicas não precisa ser difícil.
A Meredith Christman da IMI Sensors, Depew – NY, considera que o processo envolve basicamente responder as seguintes oito perguntas:
Que tipo de dado é necessário?
Dados brutos ou gerais: o sinal VAC de um acelerômetro, é um sinal dinâmico no qual pode ser feita a análise de frequência, enquanto o sinal contínuo de 4 a 20mA do transmissor de vibração, pode ser conectado diretamente aos sistemas PLC, DCS e SCADA.
Aceleração, velocidade ou deslocamento: a faixa de medição apropriada depende da frequência da vibração medida.
• deslocamento: 0 a 10 Hz
• velocidade: 10 a 2,000 Hz
• aceleração: maior que 2,000 Hz.
Qual é a amplitude da vibração?
A amplitude máxima da vibração medida determinará a faixa de medição do sensor.
• faixas comuns de acelerômetros: 10, 50, 100, e 500 g
• faixas comuns de transmissor de vibração: 0 a 1 e 0 a 2 ips; 0 a 5 e 0 e 10 g
Qual é a frequência de vibração?
Resposta de baixa frequência: A maioria dos sensores industriais terá um limite próximo de 0,2 Hz.
Resposta de alta frequência: Os sensores possuem uma frequência de ressonância na qual o sinal é amplificado, levando a mudanças de sensibilidade e possível saturação. Para combater a saturação, a maioria dos acelerômetros industriais possui filtros RC de polo único ou duplo.
Qual é a temperatura do ambiente?
Determine as temperaturas mais altas e mais baixas às quais o sensor será submetido;
-53 °C a 121 °C: A maioria dos sensores industriais de uso geral com eletrônica integrada pode operar nesta faixa;
121 °C to 162 °C: Sensores de alta temperatura com eletrônica integrada especial estão disponíveis, pois temperaturas mais altas podem prejudicar a eletrônica integrada de unidades de uso geral;
>162 °C: Projetos de modo de carga sem eletrônica incorporada estão disponíveis.
A unidade será submersa em líquido?
Profundidades <1.700 pés: Sensores com cabos integrados podem ser permanentemente submersos sem testes adicionais;
Profundidades> 1.700 pés: O sensor deve ser testado por pressão durante uma hora.
A unidade será exposta a produtos químicos?
Sensores: Os projetos industriais apresentam carcaças de aço inoxidável resistentes à corrosão.
Cabos / conectores: Verifique um gráfico de compatibilidade química, com produtos químicos corrosivos, use cabos de PTFE com conectores não corrosivos.
Você quer precisão ou baixo custo?
Calibração: os sensores de precisão recebem uma calibração completa, já os projetos de baixo custo, recebem calibração de ponto único;
Tolerâncias: sensores de precisão têm tolerâncias mais rígidas em especificações como sensibilidade, ou seja, tolerância de sensibilidade de ± 5% versus ± 10% para projetos de baixo custo.
São necessárias aprovações especiais?

A maioria dos sensores industriais pode ser certificada como intrinsecamente segura para áreas potencialmente explosivas. Compare o tipo de aprovação necessária com as aprovações publicadas de um sensor para garantir que ele atenda aos seus requisitos específicos.

Meredith Christman é gerente de marketing de produto da IMI Sensors, uma divisão da PCB Piezotronics, Inc.
Saiba mais sobre uma variedade de soluções de monitoramento de condição em pcb.com.

Clique aqui para acessar o Artigo original.